Diversidade e Inclusão

Além da diversidade e Inclusão

Diversidade e Inclusão

Será que Diversidade e Inclusão são suficientes?

Como seres humanos, todos nós passamos por aquele momento de nos sentirmos não pertencentes. Sem dúvida, você já sentiu isso ao menos uma vez. Seja porque você foi bullied quando criança, ou porque era o último a ser escolhido para o time nas aulas de educação física. Talvez tenha se sentido não pertencente quando mudou para outro país, quando mudou de escola ou no começo de um novo trabalho.

Imagina, que há aqueles que sentem que precisam amenizar ou esconder suas crenças religiosas, ou o sotaque, preferências sexuais e até mesmo seu endereço dos colegas de trabalho. Filtram parte de sua identidade e as deixam na porta da empresa, para incorporar a persona profissional que convém naquele meio. Já imaginou como deve ser angustiante viver essa exclusão social? Ainda assim, acontece todos os dias!

De todas as discussões que temos sobre Diversidade e Inclusão, falhamos em reconhecer que não é porque alguém está sendo incluso que ele se sente pertencente.

Pat Wadors, diz que todos temos superpoderes, porém, apenas quando nos sentimos psicologicamente seguros e autênticos é que deixamos nossos super poderes aparecerem.

Será o pertencimento a chave para liberar os talentos e elevar potenciais?

Quando nos sentimos pertencentes falamos mais, queremos interagir, temos mais a contribuir e estamos abertos a realmente ouvir as DIVERSAS opiniões.

Mas porque isso importa para o seu negócio?

Segundo o Professor Douglas Walton, entre 25 a 30% do seu e do meu tempo, estamos preocupados em como nos enquadramos no ambiente onde estamos. Nos preocupamos com as brincadeiras que fazemos, com as palavras que escolhemos e duvidamos se fomos entendidos ou se estamos sendo julgados. Uau, isso é muito tempo gasto apenas tentando ser aceito.

Isso me fez refletir e chegar a conclusão de que a diversidade talvez já exista, ela só não é vista. Não estou dizendo que não devemos diversificar ainda mais. O que conclui é que o senso de pertencimento é tão poderoso que mesmo sem as garantias de vantagens, quem o possui está à frente de qualquer um e que ele nada mais é do que se sentir visto!

E você, tem feito algo para demonstrar aos seus colaboradores que você os enxerga exatamente como eles são?

Que uma ajudinha para começar?

  1. Boas vindas – Certifique de que ele se sinta acolhido
  2. Intervalo de almoço – No primeiro dia, não o deixe sozinho, procurando por onde começar.
  3. Compaixão – Seres humanos passam por momentos complicados, esteja lá.
  4. Escute – Quando perguntar como foi seu fim de semana, escute de verdade, pois cada um está passando por momentos diferentes e às vezes é importante que você saiba
  5. Conte sobre você – Compartilhe como foi seu final de semana também. Compartilhe histórias sobre você.
  6. Delegue – De forma igualitária entre os times.
  7. Peça para compartilharem seus momentos de pertencimento
  8. Esteja presente – Ouvindo, vendo e demonstrando que está lá.
  9. De voz ativa – Crie um canal onde possam ser ouvidos sem julgamento

Nenhum progresso é perfeito, mas começar já é um grande passo.

“Se não temos paz é porque esquecemos que pertencemos uns aos outros”

Madre Teresa

Taline Chaves